“Espero que a Portojóia continue daqui a 30 anos e que este setor esteja vivo”

Imagem da notícia: “Espero que a Portojóia continue daqui a 30 anos e que este setor esteja vivo”

De 26 a 29 de setembro de 2019, os olhos do mundo pousaram mais uma vez sob o setor da joalharia em Portugal. A comemorar 30 edições, a Portojóia – Feira Internacional de Joalharia, Ourivesaria e Relojoaria, sob o mote “Roots and Wings”, destacou as técnicas tradicionais que diferenciam o setor e as novas tendências que dão aso a uma visão mais global e inovadora.

No rescaldo do certame do ano passado falámos com Amélia Estevão, a diretora. Quando confrontada sobre a Portojóia daqui a outros 30 anos, frisou que “vamos ter inevitavelmente algumas alterações no mercado e, como tal, teremos que nos ajustar. É possível que pensemos num modelo mais alargado da feira, que incorpore o setor profissional mas que possa estar aberto a outro tipo de público”. A responsável assumiu ainda que espera que “a Portojóia continue daqui a 30 anos e que este setor esteja vivo e cheio de força. É realmente um mercado muito importante para a economia em Portugal; afinal de contas já fatura mil milhões de euros”.

A próxima edição já tem tema e data marcada. Entre os dias 24 e 27 de setembro de 2020, a feira aposta no mote “Togetherness” e destaca peças únicas e com personalidade, que se expressam num mundo de comunidade onde prevalecem os laços e as emoções partilhadas. “Num mundo cada vez mais global, urge a necessidade de nos reconectarmos com a comunidade que nos rodeia”.

6 Fevereiro 2020
Entrevistas

Notícias relacionadas

Carlos Caria em entrevista

No final do seu quinto mandato como presidente da Associação Portuguesa da Indústria de Ourivesaria (APIO), Carlos Caria manifesta esperança de que as novas gerações ligadas ao setor da joalharia o projetem nos trilhos da inovação e prestígio no estrangeiro.

Ler mais 20 Março 2020
Entrevistas