Ana Moura: “Cresci a admirar e a usar joias”

Imagem da notícia: Ana Moura: “Cresci a admirar e a usar joias”

A fadista Ana Moura, em entrevista à JoiaPro, explicou como nasceu a primeira linha de peças da Portugal Jewels desenhada por ela. Um projeto que classifica de “verdadeiramente apaixonante”.

JoiaPro: A Portugal Jewels sempre assumiu que o seu principal objetivo é promover e valorizar a joalharia portuguesa. Como nasceu parceria?

Ana Moura:Foi a melhor parceria que eu poderia ter obtido. Demo-nos sempre muito bem e eles deram-me a liberdade para eu poder inventar, dado que não conheço bem a técnica. Comecei a desenhar ideias que tinha, algumas delas impossíveis de concretizar, mas deram-me abertura para fazer sempre o que eu queria.

JP: Como decorreu todo o processo?

AM: Um dia ligaram-me a dizer que queriam que eu fosse a cara da coleção. Eu disse que só aceitaria se fosse desenhada por mim, porque tenho um imenso gosto por joias desde miúda. Tanto a minha mãe como a minha avó sempre adoraram joias e eu achava super-romântico a minha avó nunca sair de casa sem os seus brincos e anéis. Cresci a admirá-las e sempre usei joias. A determinada altura a minha mãe fazia uma coisa que eu acho muito bonita: ia a ourivesarias e transformava as joias que comprava. Adorava esse processo, atribuímos simbologias às joias e isso ficou-me marcado.

Entrevista completa na JoiaPro 82.

13 Novembro 2019
Entrevistas

Notícias relacionadas

Carlos Caria em entrevista

No final do seu quinto mandato como presidente da Associação Portuguesa da Indústria de Ourivesaria (APIO), Carlos Caria manifesta esperança de que as novas gerações ligadas ao setor da joalharia o projetem nos trilhos da inovação e prestígio no estrangeiro.

Ler mais 20 Março 2020
Entrevistas