Jóias a partir de balas

Imagem da notícia: Jóias a partir de balas

Lovetta Conto, de apenas 17 anos, decidiu transformar a sua história dramática em arte. A jovem, nascida na Libéria, cresceu num campo de refugiados do Gana, para fugir da guerra civil que se viva no seu país e hoje usa projécteis disparados no conflito para fazer as peças. A colecção Akawelle (em português, ” também conhecido como amor”) apresenta-se, então, como uma linha de colares com pingentes feitos a partir de balas.

A menina liberiana viveu no campo de refugiados até 2005, até emigrar para os Estados Unidos. Lá, Lovetta Conto começou a desenvolver as peças.

Parte das balas é derretida, transformando-se numa folha onde com a inscrição ‘life’ gravada. O resto é trabalhado e incorpora também o pingente.

O dinheiro reverte em favor de jovens refugiados. Angelina Jolie assume-se como uma das fãs do trabalho de Lovetta, promovendo as peças.

10 Setembro 2010
Entrevistas

Notícias relacionadas

“A joalharia só pode ser feita com amor”

Quem o diz é José João Vilares, um eterno apaixonado pela ourivesaria e fundador da escola de joalharia contemporânea Engenho & Arte, sediada no Porto. Numa conversa intimista, o responsável revelou-nos que este projeto nasceu do sonho de impulsionar a joalharia contemporânea, preservando sempre as técnicas mais ancestrais desta arte.

Ler mais 7 Outubro 2020
EntrevistasJoalharia e ourivesaria