De artista gráfica a designer de joias

Imagem da notícia: De artista gráfica a designer de joias

É a história da Jennifer, dos EUA. Era artista gráfica há mais de 25 anos e, devido a uma súbita perda da visão, teve que se redescobrir.

Quando Jennifer tentava desenhar, depois de perder a visão, ficava frustrada e chateada consigo mesma. Uma artista gráfica que, subitamente, ficou cega. “Senti que perdi a minha identidade, boa parte de quem eu era, pois tudo o que fazia até então girava à volta do mundo visual. Após alguns meses de raiva e frustração, senti que tinha que seguir em frente e encontrar novas formas de trabalhar. Decidi então que precisava de apostar em algo criativo, mas que nunca tivesse experimentado antes, de forma a não poder fazer comparações”, explicou.

Foi assim que um dia, sentada na varanda, Jennifer começou a brincar com um copo e um rolo de arame, transformando-os em joias. Fazer joias é uma arte muito mais tátil do que desenhar e, desta forma, Jennifer consegue sentir os materiais e o seu trabalho com os dedos. Desde aquele dia, Jennifer ficou completamente viciada em fazer joias e levou as suas criações a uma exposição, onde vendeu tudo o que tinha. Usou o dinheiro que ganhou para comprar materiais melhores, como pedras semipreciosas, que são hoje o núcleo da sua marca: Eyespire Designs.

Saiba mais aqui.

6 Setembro 2019
Joalharia e ourivesaria

Notícias relacionadas

“Diamante, a mais valiosa forma de Carbono”

Integrado nas comemorações do "Ano Internacional da Tabela Periódica", organizadas pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Rui Galopim de Carvalho irá protagonizar a palestra "Diamante, a mais valiosa forma de Carbono", no dia 19 de setembro, no campus universitário em Vila Real.

Ler mais 17 Setembro 2019
Joalharia e ourivesaria