O caminho da internacionalização pelo Secretário de Estado

Imagem da notícia: O caminho da internacionalização pelo Secretário de Estado

O Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, assume, desde julho de 2017, a pasta da internacionalização no Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O setor da ourivesaria portuguesa esteve durante muito anos focado no mercado interno, mas, nos últimos anos despertou para a internacionalização e tem registado números recordes e taxas de crescimento muito acentuadas, na ordem dos 500% desde 2008.

AORP: Que conselhos daria aos empresários que estão ou pretendem investir na internacionalização do seu negócio?

Eurico Brilhante Dias: O caminho da internacionalização é um processo exigente mas fundamental para garantir o sucesso empresarial, assim como a afirmação do país. Este processo exige preparação prévia, uma estratégia sólida e bem definida. Ao iniciar este trajeto, os empresários devem analisar as condições competitivas da empresa, os elementos em que são diferenciadores, o meio onde se inserem, assim como as fragilidades que possam existir e saber ultrapassá-las.

Depois de garantir as condições competitivas, deve-se fazer a seleção do mercado, e nesta fase, ponderar diversos fatores, como posicionamento geográfico, proximidade cultural, acordos comerciais existentes, o potencial de venda, assim como as dificuldades de entrada no mercado (a concorrência, questões de câmbios, barreiras tarifárias, entre outros) e o financiamento. Ultrapassada essa fase, é fundamental analisar as redes de contactos, como as delegações da AICEP, associações empresariais, câmaras de comércio bilaterais e mesmo a diáspora.

É importante a considerar estes agentes económicos, pois têm um conhecimento aprofundado e informação relevante do mercado selecionado. Uma estratégia de abordagem de mercado bem definida gera resultados positivos, como é exemplo disso o setor da ourivesaria.

Conheça a entrevista completa da AORP – Associação de Ourivesaria e Relojoaria aqui.

13 Junho 2018
EntrevistasJoalharia e ourivesaria

Notícias relacionadas