Portugueses investem em moedas de ouro

Imagem da notícia: Portugueses investem em moedas de ouro

A Banca reforça aposta na venda de moedas de ouro, uma vez que o receio com a evolução da economia e falta de aplicações de poupança apelativas estão a levar mais famílias a investir nestes produtos.

Há cada vez mais portugueses a comprar libras de ouro, enquanto as barras do metal precioso estão a perder adeptos. Uma moeda da Rainha Isabel II de 2015 custa cerca de 300 euros e os principais bancos portugueses têm reforçado a oferta para responder ao aumento da procura por parte dos clientes.

“Além do interesse dos colecionadores, a numismática seduz os portugueses receosos com a evolução da economia, os desanimados com a remuneração de soluções de poupança mais tradicionais e os que estão confiantes na recuperação do valor do metal dourado”.

De acordo com as informações obtidas pelo SOL junto das grandes instituições bancárias nacionais, a procura de libras esterlinas cresceu em 2014 face a 2013. Este ano as encomendas estão a subir cerca de 25%.

“O volume de vendas nos primeiros cinco meses deste ano foi superior face ao mesmo período do ano passado, com um pico de procura por altura da Páscoa”, revela fonte oficial da Caixa Geral de Depósitos.

De janeiro a maio, o banco estatal obteve receitas superiores a 66 mil euros, correspondente a 230 libras de ouro vendidas. Ou seja, uma média de 2,2 libras por cada dia útil. “Este valor é superior ao atingido em 2014, de 53.260 euros para 159 libras”, acrescenta.

 

7 Julho 2015
Atualidade

Notícias relacionadas

Inhorgenta 2021 conta com grande apoio da indústria

A Inhorgenta Munich será realizada entre os dias 19 e 22 de fevereiro de 2021, contando com um grande apoio da indústria apesar da situação pandémica que vivemos atualmente. Cerca de cinco meses antes do início do evento, são vários os expositores que já se inscreveram.

Ler mais 19 Outubro 2020
Atualidade

Imprensa Nacional – Casa da Moeda recebe selo Covid Safe

A Imprensa Nacional - Casa da Moeda (INCM) recebeu o selo Covid Safe, após uma auditoria da APCER - Associação Portuguesa de Certificação. Esta entidade reconhece as medidas de segurança e higiene tomadas pela empresa, de forma a garantir a diminuição do risco de contágio pelo novo coronavírus e restabelecer a confiança e segurança aos colaboradores, clientes e parceiros da organização.

Ler mais 8 Outubro 2020
AtualidadeJoalharia e ourivesaria

Setembro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de setembro de 2020, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 2 Outubro 2020
Atualidade