“A joalharia só pode ser feita com amor”

Imagem da notícia: “A joalharia só pode ser feita com amor”

Quem o diz é José João Vilares, um eterno apaixonado pela ourivesaria e fundador da escola de joalharia contemporânea Engenho & Arte, sediada no Porto. Numa conversa intimista, o responsável revelou-nos que este projeto nasceu do sonho de impulsionar a joalharia contemporânea, preservando sempre as técnicas mais ancestrais desta arte.

José João Vilares nasceu em Mirandela, Trás-os-Montes, mas foi morar para o Porto com apenas nove anos, em 1975. Considera-se um portuense de gema, pois foi na cidade Invicta que cresceu e viveu praticamente toda a sua vida. Começou a trabalhar com cerca de 16 anos, passando por áreas distintas e conciliando sempre os seus ofícios com os estudos. A paixão pela joalharia, essa, vem desde tenra idade.

“Comecei muito cedo a lidar com o mundo das antiguidades e dos objetos de coleção, o que me transportou para a joalharia. Frequentava as feiras de antiguidades e velharias de todo o país. Devo tudo, incluindo esta escola, à minha família e ao meu amigo, professor e influenciador na área da joalharia Manuel Ferreira, filho do grande ourives Luís Ferreira”.

É por volta dos 30 anos que descobre a profissão que exerce até hoje: ensinar joalharia. “Frequentei a Escola de Joalharia do Porto e, ao fim de três meses, convidaram-me para ficar lá a dar aulas. Começaram a impor-me algumas limitações e, para colmatar essas limitações, decidi criar a minha própria escola”.

Entrevista completa em breve.

7 Outubro 2020
EntrevistasJoalharia e ourivesaria

Notícias relacionadas

Cofre de grau III obrigatório em ourivesarias e joalharias

Foi publicada a portaria n.º 292/2020, de 18 de dezembro, que revoga a obrigatoriedade de existência de cofre de grau III em estabelecimentos de exibição, compra e venda de metais preciosos, nomeadamente joalharias e ourivesarias.

Ler mais 11 Janeiro 2021
Joalharia e ourivesaria