Comunicar o luxo

Imagem da notícia: Comunicar o luxo

Na JoiaPro 58, destacamos a importância da comunicação para o mercado do luxo, particularmente na joalharia e ourivesaria.

As joias fazem parte da cultura desde sempre, sendo usadas como um simples adorno ou para definir uma posição de poder.

Surgem de uma “sede” de luxo por parte do Homem e dedicam-se, indubitavelmente, a um nicho restrito da sociedade.

No entanto, suportam um setor que (quase) nunca está em crise e representa um crescimento superior ao PIB mundial. com o passar dos anos, mudam-se os tempos e as vontades, pelo que surgiram mais pessoas com possibilidades de ostentar luxo, especialmente na classe média/média-alta.

É igualmente inegável a contribuição destes bens para a riqueza universal, tendo em conta que o luxo está intimamente ligado a várias áreas, como o turismo e a economia. Atítulo de exemplo, compradores dos emirados Árabes Unidos e da China viajam todo o ano para comprarem artigos luxuosos aos países europeus, mais concretamente às capitais da moda Londres, Paris e Milão.

Com esta movimentação de visitantes, surge a aposta na divulgação de produtos nacionais, que garantem o reconhecimento do património cultural e a globalização de um país pela via do luxo. Neste caso em particular, quando a atriz americana Sharon Stone visitou Portugal em março do ano passado, recebeu um coração de Viana em filigrana, criado em Gondomar por um artesão local. Mais tarde, enquanto passeava pelas ruas de Beverly Hills, na Califórnia, fez furor por usar a joia portuguesa.

No fundo, acaba por dar mérito e protagonismo a Portugal, como também atrai investidores a terras lusas. A publicidade, em parte inocente tendo em conta que o artesão só soube que a sua peça tinha sido oferecida à atriz quando viu a notícia na comunicação social, chegou a todo o lado num ápice, em efeito viral. Esta é, sem dúvida, uma das publicidades mais desejáveis.

Leia o arigo na íntegra na JoiaPro 58, aqui.

2 Janeiro 2015
Atualidade

Notícias relacionadas

Nova LOPJ – Esclarecimento ao setor da ourivesaria

Com a entrada em vigor na nova Lei Orgânica da Polícia Judiciária (LOPJ) ainda em 2019, aprovada pelo Decreto-Lei n.º 137/2019, foram levantadas questões de interpretação por parte dos operadores económicos do setor da ourivesaria. A APIO solicitou então em outubro do ano passado esclarecimentos à Direção Nacional da Polícia Judiciária que tiveram agora resposta.

Ler mais 30 Setembro 2020
Atualidade