“O conhecimento de saber fazer”

Imagem da notícia: “O conhecimento de saber fazer”

JoiaPro: Como descreve o percurso do Instituto Gemológico Português desde a sua formação até aos dias de hoje?

José Baptista: O Instituto Gemológico Português surge em setembro de 2008; na altura Associação Portuguesa de Gemologia. A nossa escola nasce da tomada de consciência de um grupo de profissionais do setor que me delegaram esta missão e a responsabilidade de traçar o caminho que projetámos e sonhámos décadas atrás. Comecei por adquirir pedras didáticas centenas de gemas com as inclusões mais importantes para o aluno estudar, materiais sintéticos, e artificiais, pedras com todo o tipo de tratamentos que melhoram o seu aspeto. Alguns tratamentos são fraudulentos e lesam profundamente o património de quem os adquire. Temos mais de quinhentas pedras didáticas para serem observadas e estudadas pelos nossos alunos nos laboratórios do I.G.P.. Basicamente são tudo o que existe no mundo atual. O projeto e a história da nossa associação passa primeiro por transmitir uma nova mensagem a todos os profissionais e não-profissionais, que é o conhecimento de saber fazer. E também aumentar a qualidade, por que não basta ser conhecedor, é preciso saber ver a diferença entre o trigo e o joio.

Leia a entrevista na íntegra na próxima JoiaPro.

 

 

21 de Agosto, 2013
Entrevistas

Notícias relacionadas

“A joalharia só pode ser feita com amor”

Quem o diz é José João Vilares, um eterno apaixonado pela ourivesaria e fundador da escola de joalharia contemporânea Engenho & Arte, sediada no Porto. Numa conversa intimista, o responsável revelou-nos que este projeto nasceu do sonho de impulsionar a joalharia contemporânea, preservando sempre as técnicas mais ancestrais desta arte.

Ler mais 7 de Outubro, 2020
EntrevistasJoalharia e ourivesaria