Reciclar para fazer joias

Imagem da notícia: Reciclar para fazer joias

Uma portuguesa cria joias a partir da reciclagem. Esta ideia surgiu com a preocupação pelo ambiente, mas principalmente para evitar o desemprego. Atualmente, dispõe de um mercado que abrange Portugal de Norte a Sul.

Em 2011, Anabela Marques funda a Idict, empresa que se demarca por utilizar “matérias disponíveis à mão com o objetivo de criar acessórios”. Foi “seguindo o gosto pessoal pela arte”, com materiais reutilizáveis e uma “técnica inovadora” que o negócio nasceu.

As primeiras peças foram vendidas no Mercado de Artesanato Urbano Português, em Barcelona, compostas de “pregadeiras feitas a partir de tampas de embalagens, botões, revistas e outras coisas”.

A empresa não teria existido se Anabela trabalhasse. O negócio é reconhecido, pois tal como Anabela diz, “agrada a gregos e a troianos”.

As joias podem ser adquiridas em Serralves, no Porto, na Anthrop, em Coimbra e no Museu Ncional do Azulejo, em Lisboa. Os preços variam entre 10 e 40 euros, que a eborense considera “bastante acessíveis”.

Para o futuro, Anabela pretende expandir o negócio para o estrangeiro, mas manter-se em galerias de arte e museus.

18 de Janeiro, 2013
Atualidade

Notícias relacionadas

Ourivesaria Tavares marca 100 anos em 2022

As comemorações desta “data redonda” fazem parte de algumas mudanças da casa centenária. Novo website, inovação, mas também muita “herança” são as apostas da ourivesaria poveira.

Ler mais 1 de Dezembro, 2021
AtualidadeEventosOurivesaria