Grad’Or, o projeto Gradouro aplicado

Imagem da notícia: Grad’Or, o projeto Gradouro aplicado

Conheça a Grad’Or, a marca criada pela equipa de investigadores do projeto de ourivesaria e engenharia Gradouro, da Universidade do Minho.

Os avanços pioneiros obtidos pela equipa liderada por Filipe Samuel Silva (cuja entrevista pode ler na próxima edição), nos últimos oito anos, têm vindo a ser aplicados na Grad’Or, a marca da iniciativa.

Os investigadores conseguiram criar um método que dá leveza a uma joia de ouro, enchendo o seu interior com uma espuma que dá mais consistência e baixo peso. A ideia rendeu o quarto prémio no The Santa Fe Symposium, dos maiores eventos de Ourivesaria do Mundo.

Os portugueses têm primado por um trabalho reconhecido, que lhes tem valido convites para participarem em conferências e palestras internacionais.

A ideia para a Grad’Or é ambição: transformar as suas tecnologias em produtos comerciais, para que alcancem ampla visibilidade internacional. Segundo a equipa, a marca tem dois objetivos fundamentais a alcançar, que são “demonstrar a capacidade das inovações realizadas no âmbito do projeto de serem comercialmente valorizadas” e, ainda, “ser um catalisador que possa levar consigo e projetar para várias partes do mundo outras marcas portuguesas”.

Embora seja detida por alguns investidores do projeto, está disponível a “abraçar” investidores que acreditem na ideia e queiram participar nesta “aventura”.

Para o próximo mês, a Grad’Or vai estrear em mercado nacional algumas coleções.

8 de Julho, 2014
Atualidade

Notícias relacionadas

Fevereiro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de fevereiro de 2021, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 1 de Março, 2021
Atualidade

Bom Carnaval

Apesar das circunstâncias, a equipa da JoiaPro deseja a todos os leitores e seguidores um ótimo Carnaval.

Ler mais 16 de Fevereiro, 2021
Atualidade

Covid-19: apoio excecional aos artesãos e às unidades produtivas artesanais

O IEFP vai atribuir apoio financeiro aos artesãos e às unidades produtivas artesanais com sede em território continental, como forma de incentivo à manutenção da atividade destas empresas, para fazer face à perda de rendimentos decorrente do cancelamento de feiras e certames de promoção e comercialização do artesanato originado pela crise pandémica Covid-19.

Ler mais 12 de Fevereiro, 2021
Atualidade