“São as mãos que trabalham a dar um toque diferente”

Imagem da notícia: “São as mãos que trabalham a dar um toque diferente”

JóiaPro: Como descreve o percurso histórico da António Cristóvão e Batista Joalheiros?
Edgar Batista: Somos uma empresa fabricante de ouro e prata presente no mercado há mais de 25 anos. O meu pai nasceu no Alentejo, mas ainda criança veio para o Barreiro, tendo começado a trabalhar aos 12 anos como aprendiz numa oficina da Rua do Ouro, em Lisboa. O trabalho foi sendo reconhecido e, algum tempo depois, foi convidado para dar formação de Joalharia na ilha da Córsega, em França, onde esteve três anos. Quando regressou estabeleceu-se no Barreiro, numa pequena oficina. Começou a executar modelos por encomenda a armazenistas e posteriormente a ourivesarias, e assim, o negócio foi crescendo.

Cláudia Batista: A grande tradição de joalharia em Portugal está concentrada no norte. Contudo, quisemos mostrar que também na zona centro sul, neste caso na margem sul, existe um fabricante de joalharia, e fomos directamente às lojas para nos dar a conhecer, tendo até já exportado para os Estados Unidos da América.

 

JP: Como define a filosofia da firma?
Cláudia Batista: Somos uma empresa familiar, já nascemos no seio do ramo e estamos todos unidos com o mesmo objectivo: mostrar uma joalharia mais exclusiva, trabalhada à mão, que já ninguém faz.

EB: E por isso criámos a marca Tany Anthony, juntando a nossa irmã Tânia ao nosso pai António, os dois joalheiros da empresa, que trabalham como um só. O pai faz peças e a filha dá-lhes o acabamento. A Tânia tirou Joalharia e Cravação no Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria (Cindor), em Gondomar, e o nosso pai é o joalheiro que todos conhecem… Temos também um novo ‘site’ http://tanyanthony.com

 

Entrevista na íntegra na JóiaPro 41

7 Outubro 2011
Entrevistas

Notícias relacionadas

Carlos Caria em entrevista

No final do seu quinto mandato como presidente da Associação Portuguesa da Indústria de Ourivesaria (APIO), Carlos Caria manifesta esperança de que as novas gerações ligadas ao setor da joalharia o projetem nos trilhos da inovação e prestígio no estrangeiro.

Ler mais 20 Março 2020
Entrevistas