A arte de lapidar gemas

Imagem da notícia: A arte de lapidar gemas

JoiaPro: Como entrou em contacto com o mundo das pedras preciosas?

Rui Souza Roza: Entrei em contacto com as pedras preciosas e semi-preciosas há cerca de sete anos. Estive a trabalhar numa empresa em Moçambique e, durante esse período, tomei contacto com as pedras preciosas, aprendendo a lapidar gemas em aulas dadas por uma pessoa com mais de 30 anos de experiência na matéria.

JP: Quando iniciou a atividade em exclusivo como lapidador?

RSR: No final do ano passado proporcionou-se a oportunidade de trabalhar exclusivamente com as pedras preciosas e avancei para a criação de negócio próprio nesta área.

JP: É utilizado algum tipo de equipamento para lapidar gemas?

RSR: Existem dois tipos de equipamento: o analógico e o digital. No início, utilizava equipamento analógico, que não permitia que a lapidação atingisse tanta qualidade, como com o equipamento digital atualmente utilizado, que é um dos mais precisos do mundo. Seguindo determinados desenhos, vai-se desgastando a gema, nos ângulos previamente definidos, até se atingir o resulatdo final. Com este equipamento, fazem-se os talhes clássicos das gemas (brilhante, esmeralda, oval, etc….).

JP: Possui novas técnicas de lapidação. Onde as conheceu?

RSR: Estas novas técnicas de lapidação (Fantasia/Forma Livre) surgiram recentemente no mercado americano, tendo ido aos EUA ter formação que permite fazer desenhos na superfície da gema (pavilhão ou coroa), utilizando concavidades, linhas, etc…., tirando proveito da refração da luz e criando efeitos únicos (jogos de luz e de cores), que podem produzir cinco vezes mais brilho e efeitos na gema.

JP: É preciso equipamento diferente para utilizar esta nova técnica?

RSR: Sim. Pela sua maior complexidade, é necessário utilizar equipamento mais sofisticado e ter mais conhecimento dos índices de refração das gemas. Por isso, adquiri um outro equipamento, também digital, que, para além dos desenhos acima referidos, permite repetir o mesmo desenho em diversas gemas.

JP: Que fontes de informação possui?

RSR: Possuo uma biblioteca com mais de 600 desenhos de gemas, que poderão ajudar o cliente a escolher o modelo pretendido.

JP: Que serviços pode proporcionar?

RSR: Posso criar uma gema ao gosto exclusivo do cliente, que poderá optar por um talhe mais clássico (redondo, retangular, oval…) ou mais moderno (forma e desenho livre). Neste último, pdoerei incluir desenhos no pavilhão e/ou na coroa. Ou, posso relapidar uma gema que apresente riscos, mau polimento, fraturas, etc….

JP: Que preços são praticados nesta atividade?

RSR: Cada caso é particular e único, pois existem diversas componentes a ter em linha de conta, tais como as características da gema, o tamanho da gema, a complexidade do talhe, entre outros. No caso de relapidação, também depende do tipo e extensão do dano que a gema tem.

 

 

9 de Setembro, 2013
Atualidade

Notícias relacionadas

Fevereiro em números

Fique a conhecer as cinco notícias mais lidas no nosso site durante o mês de fevereiro de 2021, segundo dados do Google Analytics.

Ler mais 1 de Março, 2021
Atualidade

Bom Carnaval

Apesar das circunstâncias, a equipa da JoiaPro deseja a todos os leitores e seguidores um ótimo Carnaval.

Ler mais 16 de Fevereiro, 2021
Atualidade